EUA cancelam alerta de tsunami para países do Pacífico

A Administração Nacional de Atmosfera e Oceanos (NOAA, em inglês), dos Estados Unidos, cancelou neste domingo o alerta de tsunami que havia emitido para os países do Pacífico após o terremoto de 8,8 graus na escala Richter que atingiu o Chile.

iG São Paulo |

Segundo o centro, os dados sobre o nível do mar indicam que houve um amplo tsunami, mas que já não ameaça mais as costas do Pacífico.

O potente terremoto registrado no Chile, que deixou mais de 300 mortos , provocou um tsunami que pôs em alerta todos os países banhados pelo oceano.

Japão

AP
Ondas alagam porto de Kesennuma, no norte do Japão

Quase ao mesmo tempo do anúncio da NOAA, a Agência Meteorológica do Japão rebaixou o alerta máximo de tsunami que tinha emitido para o nordeste do país, por volta das 9h (21h, de sábado em Brasília). 

O alerta foi dado perante a possibilidade de que ondas de 3 metros chegassem a três províncias da ilha de Hontsu - a principal do Japão e onde fica Tóquio. Ali, foi ordenada a evacuação de 320 mil pessoas.

No entanto, segundo a agência local "Kyodo", as ondas foram menores do que as esperadas e atingiram 1,45 centímetros no porto Otsuchi Koji de Iwate (em Hontsu, a principal ilha do Japão). No porto de Koji, na mesma Prefeitura, elas chegaram aos 90 centímetros. Até o momento, não houve regsitro de danos ou feridos no País.

O alerta de "grande tsunami" foi o maior emitido pelo Japão desde 1993, quando um terremoto de 7,8 graus na escala Richter atingiu a ilha de Okushiri, em Hokkaido.

Em maio de 1960, 140 pessoas morreram no litoral de Hokkaido e Sanriku num tsunami gerado por um terremoto de 9,5 graus no Chile.


*Com informações das agências BBC, Reuters e AP

Leia também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: terremototerremoto no chile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG