EUA: Bombeiros tentam combater fogo perto de laboratório nuclear

Agência de Proteção Ambiental disponibilizou monitores aéreos para medir níveis de radiação na região de Los Alamos, no Novo México

iG São Paulo |

Autoridades americanas enviaram centenas de bombeiros para combater o fogo que se aproxima do laboratório de armas nucleares de Los Alamos, no Estado americano do Novo México, com medo de que as chamas atinjam o complexo.

Nesta quarta-feira, entre 600 e 800 bombeiros tentam controlar as chamas, segundo disse o vice-comandante Mike Bradley ao Albuquerque Journal. Ele acrescentou ainda que o número de funcionários enviados para o local poderia chegar a 1 mil.

AP
Chamas nas Montanhas Jemez seguem em direção a Los Alamos, no Novo México (28/6)
Membros da Guarda Nacional Aérea dos Estados americanos do Colorado, Califórnia e Carolina do Norte também ajudam a combater as chamas perto do laboratório, que continua fechado e funciona apenas para operações essenciais até quinta-feira.

A Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês) disponibilizou monitores aéreos para medir níveis de radiação na região, com medo de que as chamas possam atingir os cerca de 30 mil depósitos de material radioativo, contendo cerca de 208 litros de plutônio. Especialistas, no entanto, afirmam que todo o material radioativo está estocado em depósitos seguros, que não sofrerão com o incêndio.

Moradores

Segundo a BBC, residentes da região mostraram preocupação com potencial contaminação se as chamas atingirem contâineres do lado de fora do laboratório. Autoridades, no entanto, garantem que o fogo não atingirá as instalações e disseram que materiais perigosos estão guardados com segurança.

As áreas residenciais no entorno do Laboratório Nacional de Los Alamos, que tem cerca de 12 mil habitantes, foi esvaziada no início da semana. Na terça-feira, um longo trânsito se formou em uma das principais avenidas, mas não houve pânico entre as pessoas que deixavam a cidade. As autoridades estimam que 2,5 mil moradores deixaram a cidade.

O chefe do corpo de bombeiros alertou que o fogo não se dissipará em poucos dias, e que pode até triplicar de tamanho.

Segundo a BBC, o laboratório, aberto durante a Segunda Guerra para o desenvolvimento de bomba atômica, compreende cerca de 2 mil prédios em uma área de 93 km² e emprega 15 mil funcionários.

*Com BBC

    Leia tudo sobre: incêndionovo méxicoeuanuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG