WASHINGTON - O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira um projeto de orçamento suplementar para 2009 de US$ 106 bilhões de dólares, destinado a financiar as guerras no Iraque e no Afeganistão, ao combate à gripe suína e à participação americana no FMI.

Os legisladores aprovaram o projeto por 91 votos contra cinco, dois dias após o texto passar pela Câmara de Representantes.

O texto aprovado é uma versão conciliada entre as duas câmaras do projeto de orçamento de 2009 para financiar as tropas americanas no Iraque e no Afeganistão até 30 de setembro de 2009.

No total, prevê um gasto de cerca de US$ 106 bilhões de dólares, em torno de 15 bilhões de dólares a mais que a verba solicita em abril pelo presidente Barack Obama.

Entre os gastos previstos figuram US$ 79,9 bilhões para as tropas, US$ 7,7 bilhões para combater a "gripe suína" (vírus H1N1), e cerca de US$ 8 bilhões para o Fundo Monetário Internacional (FMI).

O orçamento destina ainda US$ 10,4 bilhões em ajuda ao desenvolvimento econômico e ao combate a rebeldes no Afeganistão, Paquistão e Iraque. A distribuição destes fundos exige do presidente americano a entrega ao Congresso de uma avaliação sobre os progressos no terreno, em um ano.

O texto contém ainda medidas sobre os presos da "guerra contra o terrorismo" detidos na base naval de Guantánamo, mas não concede os US$ 80 bilhões pedidos pelo governo para fechar o polêmico centro de detenção.

Um acordo entre as duas câmaras permite à administração Obama transferir os prisioneiros da base na ilha de Cuba para o solo americano.

Leia mais sobre Barack Obama

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.