EUA apresentam na ONU projeto de declaração contra Coreia do Norte

Nações Unidas, 11 abr (EFE).- Os Estados Unidos, com o apoio do Japão, apresentaram hoje ao Conselho de Segurança da ONU um projeto de declaração que condena o lançamento de um míssil de longo alcance por parte da Coreia do Norte na semana passada e prevê que esse país não repita ação similar.

EFE |

"O Conselho de Segurança condena o lançamento por parte da Coreia do Norte em 5 de abril de 2009, que representa uma violação da resolução 1.718", adotada por esse mesmo órgão em outubro de 2006, diz o documento.

A Presidência do principal órgão de decisões das Nações Unidas, atualmente exercida pelo embaixador do México na ONU, Claude Heller, convocou hoje uma sessão extraordinária na qual a embaixadora americana perante o organismo multilateral, Susan Rice, apresentou esse documento.

Os membros permanentes do Conselho (EUA, França, Reino Unido, Rússia e China) mais o Japão apoiaram o texto e fecharam acordo para discutir de novo a questão na segunda-feira rumo "à adoção de uma decisão" nos próximos dias, segundo fontes diplomáticas.

A resolução 1.718 foi adotada pela ONU em outubro de 2006 após um teste nuclear norte-coreano. Ela prevê que Pyongyang suspenda as atividades relacionadas com seu programa de mísseis e impõe sanções econômicas à Coreia do Norte.

Na reunião deste sábado, os países analisaram o documento, que "pode ser votado na segunda-feira", disseram fontes diplomáticas.

"O texto preliminar condena de maneira clara e inequívoca essa ação por parte da Coreia do Norte", assegurou Rice ao término da sessão do Conselho.

O documento também pede o pleno cumprimento de todos os aspectos contemplados na resolução aprovada em 2006, em uma referência ao comitê de sanções da ONU sobre a Coreia do Norte, criado então.

O projeto de declaração apresentado por Washington ressalta a necessidade de ajustar as medidas impostas em 2006 e estabelecer os passos necessários para informar o Conselho sobre o decidido até o próximo dia 24.

Nesta semana, o embaixador adjunto norte-coreano perante a ONU, Pak Tok Hun, declarou que qualquer ação do Conselho de Segurança contra seu país "será considerada um ataque a sua soberania e terá duras consequências". EFE emm/bba

    Leia tudo sobre: eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG