EUA aplicam sanções contra pessoas e firmas ligadas a pai da bomba atômica

O departamento de Estado americano anunciou nesta segunda-feira em comunicado ter imposto sanções a 13 pessoas e firmas envolvidas na rede de proliferação nuclear instalada pelo cientista Abdul Qadeer Khan, pai da bomba atômica do Paquistão.

AFP |

A.Q. Khan vive em prisão domiciliar desde que admitiu ações de proliferação nuclear, vendendo tecnologia paquistanesa a países como a Líbia ou o Irã.

A nota diz que a medida será tomada em caráter preventivo.

O comunicado assegura que "acreditamos que a rede de A. Q. Khan já não esteja operacional, mas que, no entanto, os países devem manter-se vigilantes para garantir que as pessoas e firmas vinculadas ao cientista paquistanês, ou outros que buscam atividades semelhantes não se transformem em futura fonte sensível de informação ou de equipamentos".

Muitos dos envolvidos foram acusados durante anos por ligações com Khan; entre eles, o empresário turco Selim Alguadis e sua empresa EKA Elektronik Kontrol Aletleri Sanayi ve Ticaret AS, os cientistas paquistaneses Muhammad Farooq e Muhammad Nasim ud Din, o cientista do Sri Lanka, Buhary Seyyed Abu Tahor, os engenheiros alemães Gerhard Wisser e Gotthard Lerch, o engenheiro suíço Daniel Geiges e os empresários e irmãos britânicos Paul e Peter Griffin.

sl/cha/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG