EUA anunciam retirada de funcionários da embaixada no Iêmen

A embaixada dos Estados Unidos em Sanaa anunciou nesta terça-feira que recebeu ordens do Departamento de Estado para retirar os funcionários não essenciais e seus familiares do país, após os recentes atentados na capital do Iêmen, reivindicados pela Al-Qaeda.

AFP |

Também recomendou prudência aos americanos que se encontram neste país da Península Arábica.

"Os funcionários da embaixada não estão autorizados a deixar Sanaa; foram aconselhados a evitar hotéis, restaurantes, locais turísticos e limitar estritamente suas aparições em público, até nova ordem", afirma um comunicado.

Os cidadãos americanos são aconselhados a ter prudência e a evitar multidões e manifestações.

O braço iemenita da Al-Qaeda reivindicou o ataque de domingo contra residências de especialistas americanos em petróleo na região de Sanaa, em um comunicado divulgado na internet.

"Um grupo da brigada Khaled Ibn Al Walid abriu fogo no domingo 6 de abril de 2008 contra um complexo residencial de cidadãos estrangeiros e americanos em Al Hadda, na província de Sanaa", afirma a nota divulgada no site islamita Al Ekhass.

A nota acrescenta que a ação tinha como objetivo vingar o mulá Dadullah, um líder militar dos talibãs afegãos morto em maio de 2007 em um ataque aéreo do Exército afegão e da Otan.

mou-tm/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG