EUA anunciam regras para limitar ganhos de executivos

O Departamento do Tesouro e o Federal Reserve (Fed, o Banco Central Americano), divulgaram nesta quinta-feira uma série de regras para limitar os salários concedidos a alto executivos de bancos e de empresas que receberam o pacote de ajuda do governo de mais de US$ 700 bilhões durante a crise financeira global. As medidas foram saudadas pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, como um importante passo adiante.

BBC Brasil |

De acordo com as regras divulgas pelo Departamento do Tesouro, poderia haver um corte de até 90% nos pagamentos (salários mais bônus) dos 25 executivos das sete empresas que mais receberam ajuda do governo.

Além disso, o total pago aos 125 funcionários com maiores salários dessas empresas será reduzido pela metade.

Entre as empresas que deverão ser afetadas pela medida estão Bank of America, American International Group (AIG), Citigroup, General Motors, GMAC, Chrysler e Chrsyler Financial.

Com a medida, o teto salarial de altos executivos passaria a ser US$ 500 mil por ano.

Fed
O Fed apresentou propostas próprias para restringir o pagamento de executivos especificamente do setor bancário.

O Banco Central americano propôs que não sejam criados tetos salariais para os diretores-executivos (CEOs).

Por outro lado, as restrições salariais cobriam milhares de bancos, inclusive alguns que não receberam ajuda do governo.

Segundo o Federal Reserve, a intenção é garantir que pacotes de compensação possam recompensar executivos pelo desempenho das instituições por eles comandadas, mas sem colocar em risco as firmas em que eles trabalham ou o mercado financeiro como um todo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG