EUA anunciam auxílio de US$ 100 milhões a refugiados no Paquistão

A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, anunciou nesta terça-feira um pacote de US$ 100 milhões para auxiliar os paquistantes que foram desalojados por combates travados entre as forças militares do Paquistão e a milícia Talebã. Os militantes do Talebã vinham fazendo avanços significativos em seus combates contra as forças do governo do Paquistão e conquistando regiões cada vez mais próximas de grandes cidades chegando a 100 quilômetros da capital Islamabad.

BBC Brasil |

Nos últimos dias, o governo lançou um pesado ataque contra a milícia, fazendo com que pelo menos 2 milhões de pessoas, segundo estimativas da ONU, tivessem de abandonar as suas casas no Vale do Swat.

Além dos US$ 100 milhões, o governo americano disponibilizou a possibilidade de contribuições interativas, por meio de um número telefônico através do qual qualquer um poderá oferecer doações de US$ 5 para os moradores do Vale do Swat, apenas por digitar a palavra Swat.

''Se 1 milhão de americanos contribuírem, será uma contribuição significativa. São apenas US$ 5'', afirmou Hillary.

Percepção
A secretária de Estado também comentou os recentes desdobramentos dos combates entre o Paquistão e os militantes extremistas.

Hillary saudou o fato de que teria havido uma ''mudança no temperamento nacional' paquistanês contra o Talebã.

De acordo com a secretária de Estado, há um reconhecimento por parte da população paquistanesa de que os militantes do Talebã não representam um perigo apenas às áreas remotas do país.

Hillary reconheceu que os combates travados contra os extremistas representarão para os paquistaneses ''uma dura batalha, que ninguém deve subestimar''.

Muitos no Paquistão são contra as ofensivas lançadas nas áreas tribais por causa do grande número de causalidades entre civis e por considerarem a operação militar como uma imposição americana.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG