EUA analisa resposta a Coreia do Norte

Tóquio, 8 set (EFE).- O enviado especial dos EUA para Coreia do Norte, Stephen Bosworth, disse hoje que seu país estudará nas próximas semanas a intenção de Pyongyang em manter contatos bilaterais, embora insistiu na preeminência das negociações multilaterais.

EFE |

"Não alcançamos uma decisão sobre como responder ao convite (da Coreia do Norte) e vamos considerá-lo em Washington nas próximas semanas", disse Bosworth em Tóquio, segundo informou a agência japonesa "Kyodo".

No entanto, o funcionário americano apontou que os Estados Unidos "não consideram de nenhuma maneira" que essas conversas bilaterais possam substituir ao diálogo multilateral, auspiciado pelo Governo chinês desde 2003 e atualmente paralisado.

O enviado americano manteve hoje reuniões com responsáveis do Governo japonês em Tóquio, após haver visitado em dias anteriores China e Coreia do Sul.

Esses três países asiáticos integram, com os EUA, Rússia e Coreia do Norte as negociações multilaterais para a desnuclearização norte-coreana, paralisadas desde dezembro de 2008 e às que Pyongyang renunciou repetidamente desde então.

Bosworth disse ontem em Tóquio que seu país só dialogará com Pyongyang se demonstra um claro compromisso de retornar às negociações com o grupo e descartou que haja "planos imediatos" para esses contatos bilaterais, segundo informou o enviado nuclear japonês, Akitaka Saiki.

Em julho, Coreia do Norte ofereceu aos Estados Unidos conversas bilaterais em substituição aos diálogos multilaterais, do que tomou distância em abril após as sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas por seu lançamento de um foguete de longo alcance.

Durante a estadia no Japão, que conclui hoje, Bosworth não se reuniu com representantes do Partido Democrático (PD), vencedor das eleições gerais de 30 de agosto e que formará Governo no dia 16.

Sobre a mudança política no Japão, Bosworth só disse hoje que espera que a relação com o novo Governo do PD seja "tão boa" como com o Executivo anterior. EFE psh/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG