WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos afirmou nesta terça-feira que poderá cortar a ajuda a Madagascar se forem tomadas medidas anticonstitucionais na resolução da crise que afeta o país.

"Quero deixar claro que se for usada qualquer solução fora do que é estabelecido pela Constituição, a ajuda americana a Madagascar será suspensa", disse o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Robert Wood, em coletiva de imprensa.

"Todas as partes devem se conter e retomar o diálogo. É preciso buscar uma solução que respeite o processo democrático e a Constituição", acrescentou.

O porta-voz disse que Madagascar está "em transformação" e garantiu que o presidente americano Barack Obama está "acompanhando os eventos de perto".

Perguntado sobre a opinião dos EUA sobre o governo militar, Wood disse que "a chegada ao poder de um grupo de indivíduos que vai contra a Constituição provocaria automaticamente o cancelamento da ajuda americana".

O presidente de Madagascar, Marc Ravalomanana, renunciou nesta terça após quase dois meses de pressão do líder da oposição, Andry Rajoelina, que o acusou de desvio de dinheiro público e de violar a Constituição, e que se proclamou chefe de uma "alta autoridade de transição" para governar o país.

Ravalomanana dissolveu seu governo por decreto e passou o poder a um diretório militar dirigido pelo oficial mais antigo e de maior grau dentro das Forças Armadas de Madagascar.


Leia mais sobre Madagascar

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.