Bagdá, 6 jun (EFE).- O Exército dos Estados Unidos alertou hoje sobre a crescente tendência do uso de menores para cometer ataques e atentados no Iraque.

Em comunicado, as forças de coalizão citam o caso de diversos adolescentes que estiveram envolvidos em ações violentas no Iraque nas últimas semanas, na maioria das vezes sem vítimas.

O episódio mais recente foi na quinta passada, quando um adolescente atirou uma granada em direção a uma patrulha conjunta dos EUA e Iraque no povoado de Hawijah, perto da cidade de Kirkuk (norte do país).

A granada não chegou a explodir e o autor se escondeu.

"Este incidente é parte de uma crescente tendência de menores cometendo ataques contra as forças de segurança do Iraque e dos EUA nessa província (Kirkuk)", diz o comunicado.

Dias antes, um menor de 15 anos atirou outra granada, que explodiu perto de um veículo militar dos EUA, deixando apenas danos materiais.

O comunicado afirma que um adolescente de 14 anos era o motorista de um carro-bomba que matou cinco policiais iraquianos e deixou outros cinco feridos, além de 11 civis, no último dia 12 de maio, em Kirkuk.

Em 1º de maio, um jovem de 19 anos foi detido pela Polícia antes de cometer um atentado suicida. "Ele confessou que lutava com os rebeldes no Iraque há três anos", completou o comunicado.

Os adolescentes, lembra a nota, são usados porque não levantam tantas suspeitas quanto os adultos.

No último dia 14 de abril, em Kirkuk, as forças de segurança iraquianas detiveram quatro integrantes de um grupo que se dedicava a recrutar e treinar menores para cometer ataques e atentados suicidas, acrescenta o comunicado militar. EFE ag/dp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.