EUA ajudam Paquistão a avaliar estragos causados por terremotos

Washington, 29 out (EFE) - Os Estados Unidos trabalham com o Governo do Paquistão, a ONU e outras organizações, assim como com possíveis doadores, para avaliar os estragos causados pelos dois terremotos que atingiram o país e fornecer ajuda o mais rápido possível.

EFE |

O porta-voz do Departamento de Estado americano, Sean McCormack, expressou "profunda tristeza" com os dois terremotos de 6,4 graus na escala Richter registrados com poucas horas de diferença na província de Baluchistão, sudoeste do Paquistão, e transmitiu suas condolências às vítimas e aos deslocados pela tragédia.

"Estamos trabalhando com o Governo paquistanês, a ONU e outros potenciais doadores para avaliar o dano. Uma vez que tenhamos a avaliação e tenhamos falado com o Executivo paquistanês sobre suas necessidades, então estaremos preparados para proporcionar um pacote de ajuda" a Islamabad, explicou McCormack

Segundo o relatório do Serviço Geológico americano, os dois abalos tiveram magnitude de 6,4 graus na escala Richter e ocorreram com 12 horas de diferença.

As autoridades paquistanesas contabilizaram até o momento pelo menos 130 mortos, mas assumem que, certamente, o número aumentará conforme passarem as horas e os trabalhos de resgate.

As fontes oficiais calculam que outras 15 mil pessoas ficaram sem sem lar.

O primeiro abalo foi registrado por volta das 4h de quarta-feira (21h de terça-feira em Brasília) e teve seu epicentro nas montanhas de Chiltan, a 70 quilômetros de Quetta, capital do Baluchistão.

O tremor foi seguido de réplicas de quatro graus que foram sentidas tanto na província de Baluchistão quanto em Sindh, no sudeste do país.

Doze horas depois do primeiro sismo, houve um segundo de 6,4 graus na mesma área.

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG