EUA ajudam a resgatar vítimas do terremoto na Costa Rica

Helicópteros militares dos Estados Unidos se juntaram neste sábado na Costa Rica às operações de resgate de corpos e das pessoas isoladas, incluindo muitos turistas estrangeiros, perto do vulcão Poás, epicentro de um terremoto de 6,2 graus Richter que deixou ao menos 15 mortos.

AFP |

Centenas de pessoas continuam isoladas, apesar de os agentes de socorro terem conseguido resgatar muitas delas, inclusive 150 turistas estrangeiros, de áreas próximas a Poás, um dos maiores atrativos turísticos da Costa Rica, situado a cerca de 40km de San José.

A zona do epicentro é um terreno montanhoso de floresta úmida onde há várias aldeias e hotéis, que sofreram diversos danos no terremoto de quinta-feira, o mais forte dos últimos 150 anos nesta região. A neve e as chuvas estão dificultando o acesso a áreas e terrenos de resgate.

Dois helicópteros americanos Blackhawk foram enviados de Honduras para a Costa Rica para ajudar nas operações de busca e resgate das vítimas, neste sábado, informou a embaixada americana.

As operações aéreas foram realizadas até agora por cinco helicópteros civis alugados pelo governo, porque a Costa Rica não tem forças armadas.

O embaixador americano, Peter Cianchette, autorizou ainda a entrega de 50.000 dólares de fundos de assistência para desastres no estrangeiro ao governo costarriquenho, disse a embaixada.

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, também ofereceu seu apoio para ajudar as famílias atingidas pelo "devastador" terremoto, entre as quais inúmeros nicaragüenses dos milhares que vivem nesse país.

Além disso, os governos da América Central, a Colômbia e a China ofereceram ajuda, disse o presidente Oscar Arias. Ele convocou também as empresas privadas, as igrejas Católica e Evangélica, e as organizações sociais para ajudar as pessoas atingidas.

O terremoto deixou até agora "15 pessoas confirmadas mortas", de acordo com balanço da Comissão Nacional de Emergências (CNE), cujas tarefas foram alteradas com o incêndio de sua sede central em San José sexta-feira nos depósitos com os materiais para as vítimas do terremoto.

O número de vítimas pode aumentar pois dezenas de pessoas estão desaparecidas, além das quase mil isoladas devido ao bloqueio das estradas, informou a Cruz Vermelha.

bur-fj/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG