indícios de que terroristas querem usar material nuclear - Mundo - iG" /

EUA afirmam ter indícios de que terroristas querem usar material nuclear

Jesús García Becerril Madri, 17 jun (EFE).- O subsecretário de Controle de Armamento e Segurança Internacional dos Estados Unidos, John Rood, afirmou hoje que seu país possui indícios de que grupos terroristas querem usar material nuclear para atacá-lo, mas evitou dar detalhes sobre tais planos e de quais grupos falava.

EFE |

Rood fez esse comentário à imprensa ao término da reunião da chamada Iniciativa Global para Combater o Terrorismo Nuclear (GICNT, na sigla em inglês), que terminou em Madri sua quarta sessão plenária, à qual estiveram presentes 56 dos 73 membros da organização, criada em 2006 pelo presidente dos EUA, George W. Bush, e pelo então presidente da Rússia,Vladimir Putin.

A GICNT é um marco para a reflexão e para a troca de informações com o objetivo de prevenir que grupos terroristas tenham o controle de material nuclear ou radioativo e cometam atentados.

"A luta contra o terrorismo é um tema quente e tivemos aqui um importante debate", disse Rood, antes de agradecer à Rússia por sua condição de "parceira firme" da Iniciativa, na presença do vice-ministro de Exteriores russo, Serguei Kisliak.

O funcionário americano disse que há vários grupos "ativos" tentando conseguir material nuclear para cometer atentados, afirmação ratificada por Kisliak.

"Somos conscientes de que o terrorismo é um desafio global. E se os terroristas conseguem material, representam um desafio ao mundo", falou o vice-ministro russo, que garantiu que toda a tecnologia nuclear e radioativa de seu país está 'protegida e defendida'", embora tenha ressaltado que o risco de roubos "existe em qualquer Estado".

O medo de atos terroristas nucleares no mundo aumentou e está na origem da GICNT, à qual acabam de se incorporar Índia, Jordânia e Arábia Saudita, uma mostra, segundo os altos funcionários, do interesse de uma maior colaboração entre os países.

Em Madri, não se falou do programa nuclear do Irã, da qual a comunidade internacional suspeita que não tenha os fins exclusivamente pacíficos como dizem as autoridades de Teerã.

Entretanto, John Rood não escondeu sua preocupação com um assunto que gerou fortes debates no Conselho de Segurança e sanções a Teerã.

O anfitrião da reunião foi o secretário de Estado espanhol, Ángel Lossada, que disse que a Al-Qaeda "é a maior ameaça enfrentada atualmente", e destacou a consolidação da Iniciativa Global, embora todos os participantes tenham reconhecido na entrevista coletiva que ainda há um longo caminho a percorrer.

Entre os aspectos previstos pela GICNT, está a realização de exercícios e manobras, tanto de caráter teórico quanto prático, para pôr em comum métodos de proteção de instalações nucleares e o combate ao tráfico.

Uma mostra da cooperação russo-americana foi a mensagem conjunta enviada ao fórum de Madri pelos presidentes Dimitri Medvedev, da Rússia, e George W.Bush, dos EUA, no qual se comprometem a impulsioná-lo para enfrentar a ameaça terrorista. EFE jgb/rb/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG