EUA afirmam que Rússia não concluiu retirada de tropas da Geórgia

Washington, 22 ago (EFE) - Os Estados Unidos questionaram hoje a afirmação da Rússia de que concluiu a retirada de tropas do país da Geórgia, e exigiu que Moscou cumpra imediatamente o estabelecido no acordo de paz e retire as forças dos territórios ocupados. Minha informação é que não se retiraram completamente de áreas consideradas não disputadas e têm que fazê-lo, afirmou o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Gordon Johndroe, em sua reunião com jornalistas. O presidente dos EUA, George W. Bush, falou esta manhã com o chefe de Estado francês, Nicolas Sarkozy, sobre os últimos eventos na Geórgia e os dois líderes coincidiram em assinalar que a Rússia não cumpriu (com o acordo de paz) e que a Rússia tem que cumpri-lo agora, explicou Johndroe.

EFE |

Os EUA "continuarão observando a situação", mas, disse o porta-voz, "não vemos que (a Rússia) está cumprindo atualmente".

O ministro de Defesa russo, Anatoli Serdiukov, informou hoje ao presidente do país, Dmitri Medvedev, que as tropas russas concluíram sua retirada do território da Geórgia à região separatista da Ossétia do Sul.

Os postos das forças de paz russas na zona de segurança, uma faixa de entre 8 e 16 quilômetros no perímetro da Ossétia do Sul, já começaram a cumprir suas tarefas, segundo Moscou.

Deste modo, a Rússia entende que a parte russa cumpriu os acordos conteúdos no plano de regra ao conflito pactuado por Medvedev e Sarkozy.

O Pentágono também afirmou hoje que não há sinais claros de uma retirada substancial das tropas da Geórgia, apesar do anúncio de Moscou que concluiu.

"Houve alguma movimentação de tropas, mas se isso é ou não uma indicação de uma retirada ou simplesmente uma recolocação das tropas é um pouco difícil de determinar neste momento. Mas estes movimentos seguem sendo reduzidos", assinalou o porta-voz do Departamento de Defesa americano, Bryan Whitman.

O Departamento de Estado americano, por sua parte, assinalou que "a Rússia finalmente começou a tirar suas forças da Geórgia, mas fracassaram, sem dúvida alguma, na hora de cumprir suas obrigações sob o acordo de cessar-fogo", afirmou o porta-voz adjunto interino do órgão, Robert Wood.

"Pedimos à Rússia que cumpra totalmente o acordo (...) e que tire o mais rápido possível suas tropas dali", insistiu.

O estabelecimento de postos de controle e zonas de segurança adicionais "definitivamente não fazem parte do acordo", disse Wood.

Nesta linha, a França lembrou hoje à Rússia os limites das "medidas adicionais de segurança" pactuadas no acordo de cessar-fogo, que somente podem ser aplicadas na proximidade imediata da Ossétia do Sul.

Um dos chefes militares russos se referiu a planos de estabelecer postos militares adicionais para os soldados "de paz" russos entre o território administrado por Tbilisi e as regiões separatistas da Ossétia do Sul e a Abkházia. EFE cae/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG