EUA advertem sobre ano difícil no Afeganistão

Washington, 18 fev (EFE).- O comandante-em-chefe das tropas dos Estados Unidos no Afeganistão, o general David McKiernan, indicou hoje que 2009 será muito difícil no país árabe, apesar do envio de mais soldados ordenado pelo presidente Barack Obama.

EFE |

Em entrevista coletiva no Pentágono, McKiernan indicou que os reforços, cerca de 17 mil soldados, podem estar completamente em operação no terceiro trimestre do ano, e ficarão desdobrados no sul do país, onde foram registrados os piores combates, com o ressurgimento do movimento talibã.

"Usarei a maior parte destas forças no sul do Afeganistão, uma área onde não temos presença de segurança suficiente", destacou.

O general expressou sua satisfação pelos reforços, que se somarão ao contingente de 32 mil homens com que os EUA já contam no Afeganistão, mas advertiu que mesmo assim os próximos meses serão complicados.

"Mesmo com estas forças adicionais, 2009 será um ano muito difícil", declarou, ao precisar que os Estados Unidos enfrentam "uma insurgência muito resistente".

"Na melhor das hipóteses, podemos dizer que estamos empatados (com a insurgência) no sul do Afeganistão", admitiu. EFE mv/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG