EUA acusam Hezbollah de treinar iraquianos no Irã

WASHINGTON (Reuters) - As Forças Armadas dos Estados Unidos têm vários detidos que dizem que o grupo militante Hezbollah, do Líbano, vem treinando militantes iraquianos no Irã, afirmou nesta segunda-feira um militar norte-americano em Bagdá. O coronel Donald Bacon, porta-voz militar dos EUA na capital iraquiana, afirmou que transcrições de interrogatórios desses presos foram recentemente entregues ao governo do Iraque.

Reuters |

Mas o coronel não deixou claro se os documentos foram repassados a uma delegação iraquiana que viajou para Teerã, na semana passada, a fim de mostrar provas do apoio iraniano a milícias xiitas em território iraquiano.

Bacon disse que os campos de treinamento seriam localizados próximos a Teerã e coordenados pela força iraniana Qods, um braço da Guarda Revolucionária da República Islâmica.

'Temos vários detidos que afirmam que o Hezbollah está oferecendo treinamento para iraquianos em campos de treinamento iranianos próximos de Teerã', disse ele à Reuters.

O governo dos EUA acusa o Irã de custear, armar e treinar milicianos xiitas para atacar as forças lideradas pelos norte-americanos e as forças do governo iraquiano, apesar de seu comprometimento declarado com a estabilização do Iraque.

O governo iraniano culpa a presença de forças norte-americanas no território iraquiano pela violência verificada ali.

Um porta-voz do governo iraquiano afirmou no sábado, após o regresso da delegação que visitou o Irã, que as autoridades iranianas negaram qualquer tipo de interferência no país vizinho.

O governo iraquiano disse na segunda-feira que o primeiro-ministro do país, Nuri al-Maliki, havia ordenado a formação de um comitê encarregado de recolher provas da interferência iraniana no Iraque a fim de apresentá-las ao governo do Irã.

Os iraquianos já disseram que não desejam ver seu território transformar-se no palco de uma guerra por procuração a ser travada pelos EUA e pelo Irã, países que se desentendem também devido às ambições nucleares deste último.

(Por Peter Cooney)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG