EUA acusam emergentes de voltar atrás na transparência de seus compromissos

A secretária de Estado, Hillary Clinton acusou nesta quinta-feira, em Copenhague, as grandes economias emergentes de dar marcha a ré quanto à transparência de seus compromissos para lutar contra a mudança climática.

AFP |

"Em muitas ocasiões no passado que todas as principais economias se comprometeram com a transparência. Agora que estamos tentando definir o que esta transparência significa e como podemos implementá-la e observá-la, ocorre uma marcha a ré nessa transparência e isso, para nós, é algo que prejudica todo o esforço com que estamos comprometidos", declarou.

"Se não houver um compromisso sobre a transparência, consideramos que não pode haver acordo. É preciso ter um compromisso a respeito da transparência", acrescentou.

Os Estados Unidos estão preocupados em poder verificar, medir e controlar os esforços iniciados pela China em termos de mudança climática.

Hillary também anunciou que seu país vai contribuir com 100 bilhões de dólares por ano até 2020 para um fundo que ajude os países pobres a lidar com a mudança climática.

Este valor também é considerado necessário pela Comissão Europeia para responder às necessidades de adaptação dos países em desenvolvimento aos impactos da mudança climática e a atenuação de suas emissões.

ri-ach/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG