EUA aconselham americanos a deixar a Bolívia

O Governo dos Estados Unidos disponibilizou, nesta terça-feira, dois aviões para os americanos que queiram deixar a Bolívia, cujas relações com Washington pioraram na última semana, e que vive um momento de grande tensão social e política.

EFE |


Em comunicado divulgado em Washington e em La Paz, o Departamento de Estado informou que os americanos que quiserem poderão deixar a Bolívia rumo a Lima, no Peru, em dois vôos especiais habilitados para a ocasião.

O comunicado lembra que todas as companhias comerciais mantêm, por enquanto, seus vôos, com exceção dos da American Airlines entre Bolívia e Miami, que foram cancelados até domingo.

O Departamento de Estado americano informou que todos os aeroportos estão abertos por enquanto, com exceção dos das cidades de Tarija, Trinidad e Cobija, nos departamentos de Tarija, Beni e Pando, respectivamente.

"Encorajamos os cidadãos americanos que estão na Bolívia a deixar o país se sua situação permitir, e quem decidir permanecer deve ficar atento, estar alerta às notícias da imprensa, e adotar as medidas de segurança que acharem necessárias", diz o Governo dos EUA no comunicado.

"Os cidadãos americanos devem ter consciência de que pode haver protestos e as ruas podem ser bloqueadas, pelo que não recomendamos viajar para a Bolívia", acrescentou.

"Sob hipótese nenhuma deve-se tentar atravessar uma barricada na rua, embora pareça que não haja ninguém", adverte o comunicado do Departamento de Estado americano.

Os cidadãos "devem saber que qualquer protesto que pareça pacífico pode se transformar em um confronto violento com as forças de segurança", acrescenta.

O Departamento de Estado americano informou que, devido aos protestos e manifestações convocadas, os serviços da embaixada permanecerão fechados, e igualmente, autorizou os funcionários não essenciais a deixar o país.

    Leia tudo sobre: bolívia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG