EUA acenam com apoio a novo governo guirguiz

Por Maria Golovnina e Olga Dzyubenko BÍSHKEK (Reuters) - Os Estados Unidos disseram na quarta-feira que estão preparados para ajudar o novo governo do Quirguistão, o que eleva a pressão sobre o presidente deposto Kurmanbek Bakiyev, que por sua vez parece estar propenso a se exilar.

Reuters |

A crise política no país afeta as decolagens na base aérea de Manas, no norte do Quirguistão, que os EUA alugam para servir de ponto de apoio para a guerra no Afeganistão. O presidente russo, Dmitry Medvedev, já alertou que essa pobre ex-república soviética pode estar à beira de uma guerra civil.

"Eu me sinto otimista sobre os passos que (o governo interino) já está dando (...). Os Estados Unidos estão preparados para ajudar", disse o secretário-assistente de Estado Robert Blake a jornalistas após uma reunião com a presidente interina, Roza Otunbayeva.

Otunbatyeva disse não ter discutido a questão da base aérea norte-americana com Blake, que é o funcionário mais graduado dos EUA a visitar o Quirguistão desde a revolta popular que depôs Bakiyev, em 7 de abril.

Pelo menos 84 pessoas morreram e 1.600 ficaram feridas nos confrontos entre manifestantes e soldados antes da fuga do presidente. Otunbayeva sugeriu que seu antecessor deveria ser julgado pelas mortes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG