ETA volta às antigas práticas e mata um empresário no País Basco

Um empresário foi abatido a tiros nesta quarta-feira no País Basco (norte) provavelmente por supostos membros da organização separatista armada basca ETA, que volta, assim, às antigas práticas depois de oito anos sem atacar dirigentes de companhias.

AFP |

"Tudo leva a crer que foi a ETA", declararam fontes das forças de segurança espanholas.

A vítima, Ignacio Uría Mendizábal, proprietário de uma empresa que participa da construção do trem-bala na região, a Altuna y Uría, foi morto às 13H05 (12H05 GMT) no estacionamento de um restaurante da cidade de Azpeitia.

Uría recebeu dois tiros, um deles na cabeça e o outro no peito.

O serviço de urgência médica tentou reanimá-lo durante cerca de uma hora no local, em frenta a um restaurante que freqüentava diariamente para jogar cartas.

Uría, casado e pai de cinco filhos, havia sido ameaçado várias vezes pela ETA e não tinha segurança.

O carro em que os dois atacantes fugiram foi posteriormente encontrado calcinado, a 25 km de Azpeitia.

Um homem, que poderia ser o proprietário do carro foi também encontrado depois, com as mãos amarradas.

Se a pista ETA se confirmar, seria o primeiro atentado da organização desde a detenção do suposto chefe de seu braço militar, Garikoitz Aspiazu, ou "Txeroki", no dia 17 de novembro em Cauterets (sudoeste da França).

bur-esb/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG