A organização separatista armada basca ETA planejou matar o juiz espanhol Baltasar Garzón com veneno em uma garrafa de conhaque, informa o jornal El País.

"O último chefe do ETA detido, Jurdan Martitegi Lisaso, conhecido como 'Arlas', tinha entre seus planos matar Baltasar Garzón com um veneno que seria introduzido em uma garrafa de conhaque de qualidade que um falso admirador enviaria", afirma o jornal, que cita "fontes da lucha antiterrorista".

A informação aparece em um documento apreendido com o chefe do ETA, que foi preso em Montauriol (França) no dia 18 de abril.

esb/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.