ETA assume assassinato de ex-vereador socialista

A ETA assumiu hoje o assassinato, em março passado, do ex-vereador socialista Isaías Carrasco cometido no País Basco (norte) - em comunicado enviado nesta terça-feira ao jornal Gara, habitual canal de reinvidicação da organização armada separatista basca.

AFP |

Na nota, a ETA reivindica cinco atentados, entre eles, além do assassinato de Carrasco, o ataque com carro-bomba ao quartel da Guarda Civil em Calahorra (La Rioja, norte da Espanha) no dia 21 de março, informa o Gara em sua edição eletrônica.

O diário deverá publicar o comunicado na íntegra em sua edição impressa de quarta-feira miércoles.

No dia 10 de março, milhares de pessoas se reuniram nas ruas de Mondragon, no País Basco espanhol, para prestar uma última homenagem a Isaias Carrasco, o ex-vereador socialista assassinado.

A mulher e as duas filhas da vítima levaram um grande cartaz onde se podia ler: "Pela liberdade. ETA não".

O cortejo percorreu as ruas do centro de Mondragon, e parou na frente da residência de Carrasco, onde o ex-vereador foi atingido por vários disparos no dia 7 de março, ao meio-dia, hora local.

Vários políticos participaram da manifestação, como o secretário do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) José Blanco, o presidente do Senado Javier Rojo, e o chefe do governo regional basco Juan José Ibarretxe, do Partido Nacionalista Basco (PNV).

gc/sd/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG