Washington, 29 jul (EFE).- Um estudo divulgado hoje pela Universidade de Utah diz que os bairros mais antigos podem facilitar o combate à obesidade.

"Os bairros mais antigos foram projetados de tal forma que apresentam opções saudáveis", disse Barbara Brown, co-autora do estudo.

"Nos bairros mais tradicionais, freqüentemente há praças arborizadas, com sombras, pequenos comércios, pontos de ônibus, lugares de trabalho e locais atraentes que estimulam os residentes a caminhar", acrescentou.

O estudo descobriu que os bairros construídos antes de 1950 oferecem mais possibilidades para caminhar, já que freqüentemente foram projetados tendo em mente os pedestres, enquanto os bairros mais novos, em geral, são moldados pensando no tráfego de automóveis.

Brown é uma psicóloga ambiental e social na Universidade de Utah e seu estudo aparece na edição de setembro da revista "American Journal of Preventive Medicine".

Os pesquisadores usaram informações do Escritório do Censo e do desenho das ruas, e dados sobre o índice de massa corporal (IMC) de mais de 450 mil adultos que vivem no Condado Salt Lake, em Utah.

Para Ethan Berke, médico e epidemiologista na Escola de Medicina de Darmouth, esta pesquisa é valiosa "já que cria a expectativa de que as pessoas caminhem mais, e ocorra um ressurgimento das cidades". EFE jab/bm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.