Estudo vincula apetite sexual a maior risco de câncer de próstata

Londres, 26 jan (EFE).- Um estudo britânico publicado hoje no British Journal of Urology International vincula o apetite sexual dos homens durante sua juventude com o risco de desenvolver câncer de próstata quando for mais velho.

EFE |

A pesquisa, baseada em uma entrevista feita com 809 homens pela Universidade de Nottingham, centro da Inglaterra, afirmou que os homens que afirmaram manter mais relações sexuais e se masturbar mais entre os 20 e 30 anos tinham mais probabilidades de sofrer de câncer.

Os pesquisadores, dirigidos pelo médico Polyxeni Dimitropoulou, questionaram sobre os hábitos sexuais de 400 homens diagnosticados com câncer de próstata e de outros 409 que não sofriam da doença.

Eles foram perguntados, entre outras coisas, sobre a frequência com que mantinham relações sexuais desde a adolescência, com quantas pessoas fizeram sexo e se alguma vez tinham tido infecções venéreas.

Nos dois grupos, cerca de 59% disseram ter feito sexo 12 vezes ao mês ou mais quando tinham 20 anos, enquanto a proporção caía para cerca de 48% aos 30 anos, 28% aos 40 e 13% aos 50.

Uma das principais diferenças entre os dois grupos era que, no dos doentes de câncer, quase dois quintos tinham tido seis parceiros ou mais, em comparação com menos de um terço dos homens saudáveis.

Além disso, entre os doentes de câncer de próstata, 40% tiveram relações sexuais ou se masturbaram 20 vezes ao mês ou mais aos 20 anos, contra 32% dos entrevistados que não tinham a doença.

As diferenças de hábitos sexuais entre os dois grupos diminuíam à medida que a idade aumentava, o que sugeriu aos pesquisadores que a disparidade determinante acontece na juventude.

Dimitropoulou afirmou que o que distinguia seu estudo de outros anteriores era que se centrou em investigar os anos de juventude e que tenham sido levados em consideração tanto o ato sexual quanto a masturbação em várias fases da vida.

O médico afirmou que é possível que uma maior presença de hormônios em alguns homens fosse o responsável tanto por um maior apetite sexual entre os 20 e 30 anos como do desenvolvimento do câncer de próstata posteriormente.

O pesquisador afirmou que "os hormônios parecem desempenhar um papel determinante no câncer de próstata", e, de fato, "é muito comum tratar os doentes com remédios para reduzir os hormônios que acredita-se que estimulem as células cancerígenas".

Um porta-voz do The Prostate Cancer Charity, John Neate, expressou satisfação com a utilidade do estudo, mas ressaltou que, antes de ser considerado conclusivo, deve tomar como base mais evidências científicas. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG