Cabul - Os ataques contra membros de organizações não-governamentais (ONG) no Afeganistão alcançaram nos últimos três meses o maior nível desde a queda do regime dos islamitas talebans no final de 2001, segundo relatório da Anso, uma organização especializada na segurança das ONGs nesse país.

De janeiro a setembro deste ano foram registrados 146 ataques cometidos por grupos criminosos ou rebeldes frente aos 135 em todo 2007.

Um total de 28 membros de ONGs - entre eles cinco estrangeiros - morreram em 2008 e 72 foram seqüestrados, segundo o informe.

Um total de 75% dos ataques registrados este ano foram realizados por grupos de insurgentes armados (talebans ou outros) e o resto por grupos criminosos.

Noventa por cento dos ataques estão dirigidos contra as forças de segurança afegãs e internacionais, mas 75% das vítimas são civis.

Segundo a Anso, 1.789 civis morreram nas violências registradas em 2008: 970 em ataques de insurgentes e 373 em ações militares, principalmente ataques aéreos (em 2007 foram 2.023 civis mortos, 996 por ataques de insurgentes e 541 em ações das forças armadas).

A Anso aconselha às ONGs que, para sua própria segurança, aumentem sua independência em relação aos "atores políticos e militares do país".

Leia mais sobre: telebans - Afeganistão

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.