Estudo liga hormônios sexuais a doenças cardíacas em homens

Um estudo realizado na Universidade de Leicester, na Inglaterra, sugere que os homens são mais propensos a desenvolver doenças cardíacas do que as mulheres por causa de seus hormônios sexuais.

BBC Brasil |

Publicada na revista científica Atherosclerosis, a pesquisa envolveu 933 homens saudáveis, com idade média de 19 anos.

Os pesquisadores observaram a possível relação entre os hormônios sexuais estradiol, androstenediona, estrona e testosterona com três dos principais fatores de risco associados às doenças cardíacas - colesterol, pressão sangüínea e peso.

Os resultados indicaram que dois desses hormônios - os estrogênios estradiol e esterona - estavam relacionados com um alto nível do chamado "mau colesterol" (LDL) e baixo nível do bom colesterol (HDL) em homens.

"Isso sugere que alguns hormônios sexuais podem ser fatores de risco importantes para doenças cardíacas nos homens, mesmo antes de apresentarem sintomas de doença arterial coronária ou derrame", disse Maciej Tomaszewski, principal autor do estudo.

Relação


A pesquisa sugere ainda que alto nível de estrogênio pode ter uma influência negativa no perfil lipídico - que compreende as dosagens do colesterol total - dos homens ainda na juventude.

Apesar de identificar a relação entre os hormônios e o risco de desenvolver doenças cardíacas, o estudo não elucidou a razão pela qual os estrogênios - geralmente associados à proteção cardíaca em mulheres - aumenta o risco de doenças cardiovasculares nos homens.

Os pesquisadores afirmam que, apesar das descobertas, mais pesquisas são necessárias para explicar o mecanismo dessas relações.

Leia mais sobre pesquisas científicas

    Leia tudo sobre: pesquisa

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG