Estudo diz que crianças que dormem pouco são propensas à obesidade

Washington, 7 abr (EFE).- As crianças que dormem menos de 12 horas e assistem por muito tempo à TV têm tendência a ter um peso excessivo antes de entrar na escola, segundo um estudo de cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Harvard.

EFE |

A conclusão do estudo, publicado hoje pela revista "Archives of Pediatrics & Adolescent Medicine", é baseada em relatórios das mães sobre os hábitos de seus filhos, assim como em medições diretas de seu peso e estatura.

Os cientistas assinalam que esta é uma nova prova para uma vinculação entre o sono e a obesidade, que pode afetar inclusive as crianças muito novas.

Acrescentam que o efeito do menor tempo de sono se vê reforçado pela televisão, e agregam que o estudo determinou que as crianças que dormiam menos e assistiam à TV por mais tempo tinham maior probabilidade de ser obesas.

"Os dois comportamentos, independentes e em combinação, são particularmente arriscados", manifestou Elsie Taveras, principal autora do estudo.

Os cientistas estudaram os casos de 915 crianças, das quais 586 dormiam uma média de 12 horas ou mais por dia, e 329 dormiam menos de 12 horas.

Entre os que dormiam mais de 12 horas a incidência de obesidade era de 7% ao completar os três anos, mas entre os que dormiam menos era de 12% ao chegar à mesma idade.

Ao considerar o fator de duas ou mais horas de televisão por dia, a porcentagem de obesos subiu para 17%. EFE ojl/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG