Estudo diz que bactéria causadora de úlcera está relacionada a câncer

Londres, 31 jul (EFE).- A eliminação de uma bactéria do estômago de pacientes operados de tumor gástrico reduz consideravelmente o risco de sofrer outro câncer estomacal, segundo a revista médica britânica The Lancet.

EFE |

Até agora, se sabia que a erradicação da bactéria Helicobacter Pylori, responsável pelas úlceras, tinha um efeito profilático nos experimentos com animais, mas os resultados em humanos não eram determinantes.

No entanto, cientistas da Hokkaido University Graduate School of Medicine do Japão e do Japan Gast Study Group realizaram uma pesquisa que mostrou os efeitos benéficos da eliminação da bactéria nos pacientes que tiveram um tumor gástrico extirpado.

Após estudar 544 casos de pessoas que tiveram este tipo de câncer e foram operadas durante o estágio inicial da doença, administraram para metade delas um tratamento de ansoprazol, amoxicilina e claritromicina.

Foi feito um acompanhamento dos dois grupos com endoscopias freqüentes, para ver se tinham desenvolvido um câncer gástrico metacrônico. Este tipo de tumor se desenvolve após uma cirurgia de extirpação em um lugar do estômago diferente do ocupado pelo tumor inicial.

Após os três anos do tratamento contra a bactéria, nove pessoas do grupo da medicação desenvolveram este tumor. No entanto, dentre as que não receberam o tratamento foram 24.

A partir destes resultados, os cientistas confirmaram que a erradicação desta bactéria pode reduzir muito o risco da volta de um tumor gástrico naqueles pacientes que já se submeteram a uma cirurgia.

A equipe de pesquisa defende, além disso, que quase todos os tumores do estômago que não estejam relacionados com o coração surgem por causa de uma infecção da mucosa gástrica produzida pela Helicobacter Pylori. EFE vmg/bm/plc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG