Estudo diz que a vida sexual dos septuagenários melhorou

Estocolmo - O número de septuagenários que têm uma vida sexual ativa é cada vez maior e as mulheres dessa faixa etária parecem particularmente satisfeita com isso, revela um estudo realizado na Suécia e publicado nesta quarta-feira na internet pelo British Medical Journal.

AFP |

Os pesquisadores da Universidade de Goteborg, dirigidos por Nils Beckman, estudaram os resultados de entrevistas realizadas com septuagenários em vários períodos: 1971-72, 1976-77, 1992-93 e 2000-2001. No total, 1.500 pessoas, heterossexuais, foram entrevistadas sobre sua vida sexual.

Entre 1971 e 2001, o número de septuagenários de ambos sexos que têm vida sexual ativa aumentou: de 52 a 68% no caso dos homens casados ou que vivem com alguém, de 38 a 56% para as mulheres casadas ou que vivem com alguém, 30 a 54% para os homens não casados e de 0,8 a 12% para as mulheres não casadas.

As relaçõe sexuais também se tornaram mais freqüentes: pelo menos uma vez por semana para 10% dos homens sexualmente ativos em 1971 e 31% em 2001. As cifras são, respectivamente, de 9% e 26% entre as mulheres com uma vida sexual ativa.

As mulheres também asseguram ter tido mais orgasmos (83% das sexualmente ativas em 2001 frente a 59% em 1971), como são menos as que dizem nunca ter tido um orgasmo (6% frente a 41%).

No entanto, há mais homens que confessam ter mantido uma relação pouco satisfatória. Para os autores do estudo, a explicação é que hoje em dia é mais fácil admitir um fracasso sexual.

Leia mais sobre: vida sexual

    Leia tudo sobre: suécia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG