Um em cada 10 portadores de psoríase relata ter sofrido de depressão ao longo da vida

Pessoas com psoríase têm mais probabilidade de sofrer depressão, ansiedade e pensamentos suicidas quando comparadas às sem a doença de pele, concluiu um estudo conduzido em adultos na Grã-Bretanha.

Os autores constataram que uma em cada 10 pessoas com psoríase tinha sofrido de depressão leve em algum momento da vida, mais do dobro do relatado entre pessoas sem a doença. Em casos graves, essa proporção aumentou ainda mais.

"A psoríase tem um impacto importante sobre o bem-estar dos pacientes", disse o Dr. Joel Gelfand, da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia. "Há provavelmente milhares de casos a mais de depressão e pensamentos suicidas, devido à psoríase", acrescentou.

Segundo o especialista em psoríase Jerry Bagel, que não está envolvido no estudo, os resultados não foram surpreendentes. "As pessoas com psoríase vestem roupas com mangas compridas no verão. E uma adolescente de 17 anos com psoríase em 3% de seu corpo também vai se esconder", disse Bagel, do Centro de Tratamento da Psoríase em Nova Jersey, nos Estados Unidos.

A psoríase ocorre devido à hiperatividade das células do sistema imunológico, que atacam a pele saudável causando manchas vermelhas e gerando coceira e placas. Quase três quartos das pessoas dizem que a doença as afeta emocionalmente, de acordo com um estudo recente da Fundação Nacional de Psoríase.

Para o novo estudo, a equipe de Gelfand analisou um banco de dados nacional da população da Grã-Bretanha com registros médicos eletrônicos, entre 1987 e 2002. Foram analisados 146 mil pacientes com psoríase leve, 4.000 com psoríase severa e 767 mil sem psoríase. As pessoas com psoríase estavam entre as com maior risco para problemas psicológicos, especialmente as mais jovens.

"Antes, pensávamos que uma pessoa desenvolvia psoríase e, em seguida, tornava-se deprimida e começava a engordar. Mas parece que há um mecanismo subjacente que unifica todos esses sintomas", sugeriu Bagel.

As pessoas com psoríase, por exemplo, têm níveis mais elevados de substâncias químicas inflamatórias no sangue. Isso, em princípio, poderia ser uma explicação parcial de por que os afetados pela psoríase têm mais risco de desenvolver doenças cardíacas e diabetes.

* Por Frederik Joelving

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.