Teerã, 1 jan (EFE).- Milhares de estudantes iranianos protestaram hoje diante da antiga sede da embaixada dos Estados Unidos nesta capital para oferecer sua vida em favor dos palestinos da Faixa de Gaza.

Segundo a agência iraniana de notícias "Fars", participaram da manifestação cerca de 4.000 estudantes dos 25.000 que se inscreveram em um site para cometerem "operações de martírio" em Gaza.

Os integrantes dos batalhões Forças do Profeta Maomé se concentraram diante do edifício que abrigava até 1979 a embaixada dos Estados Unidos. Muitos deles vestiam uma roupa branca, parecida com usada em enterros islâmicos.

No ato, alguns manifestantes queimaram imagens do presidente egípcio, Hosni Mubarak, e do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, cujo país está realizando um bombardeio contra a Faixa de Gaza desde o último sábado.

O Egito, por outro lado, foi criticado em manifestações convocadas em cidades da região por se negar a abrir a passagem fronteiriça de Rafah, a única que liga Gaza ao território egípcio, o que reforça o bloqueio que sofre a região há um ano e meio. EFE msh/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.