Caracas, 15 fev (EFE).- Setores estudantis de oposição pediram hoje aos venezuelanos que aproveitem os últimos momentos da jornada para votar no referendo, enquanto os governistas pediram calma e denunciaram um suposto plano opositor para desconhecer o resultado final.

"Pedimos os jovens para votar", disse o ex-dirigente estudantil e atualmente diretor do partido opositor Primeiro Justiça, Jon Goicoechea, pouco antes do fechamento dos colégios.

O apelo, que também figura em panfletos distribuídos em algumas zonas de Caracas, sugere que os estudantes opositores votem todos na última hora do referendo.

A suposta iniciativa foi interpretada por setores governistas como uma manobra para provocar incidentes, segundo indicou Jorge Rodríguez, chefe de campanha para a aprovação do referendo.

Em entrevista, Rodríguez considerou que a proposta dos estudantes opositores faz parte de "uma estratégia para desconhecer os resultados".

"Deixem o povo votar em paz. Esperem com dignidade o resultado", acrescentou Rodríguez, dirigindo-se aos estudantes opositores.

Por sua vez, Héctor Rodríguez, dirigente do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), denunciou que o apelo da oposição esconde um plano para "alegar fraude" e desconhecer os resultados do referendo.

Porta-vozes oficiais informaram que, às 14h (15h30 de Brasília), 52% dos inscritos tinham votado.

Diferentes representantes do Governo insistiram nas últimas horas em reivindicar aos líderes da oposição que digam publicamente que aceitarão o resultado do referendo, ao qual foram convocados cerca de 17 milhões de venezuelanos para aprovar ou rejeitar uma emenda constitucional impulsionada pelo presidente Hugo Chávez. EFE rr/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.