Estudantes atacam quartel da Polícia civil no Chile

Um protesto de estudantes universitários acabou com um ataque contra a sede da polícia civil chilena em Santiago, que foi alvejada com bombas incendiárias pelos manifestantes, informaram as autoridades.

AFP |

Estudantes da Universidade de Humanismo Cristão, cuja sede fica a poucos metros da Brigada de Homicídios da Polícia de Investigações (PDI), protestaram em apoio à reivindicação de terras dos indígenas mapuches.

No meio da manifestação, os estudantes atiraram coquetéis Molotov e objetos contundentes contra a sede da polícia civil (detetives). Os motivos do ataque, que deixou um policial ficou ferido, não estão claros, segundo a mídia local.

Ninguém foi preso.

"É um fato muito grave. Tentou-se atacar uma entidade cuja função principal é proteger todos os chilenos", disse o subsecretário do Interior, Patricio Rosende, que preferiu não vincular a violência dos estudantes a um ato terrorista, já que ainda não se conhece detalhes da história.

"Nos preocupa que este tipo de coisa seja organizada dentro de um recinto universitário. Isso nos parece especialmente grave. Não é possível que as universidades sejam usadas para este tipo de coisa", acrescentou.

mav/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG