Teerã, 23 jun (EFE).- As associações estudantis do Irã adiaram a concentração que tinham convocado para hoje em frente à Embaixada do Reino Unido em Teerã para protestar contra a suposta ingerência do Governo britânico nos assuntos internos do país.

A manifestação foi adiada por não ter sido autorizada pelo Ministério do Interior iraniano.

Em comunicado divulgado pela agência "Fars", os estudantes afirmam que devido à falta de permissão do Ministério, ficou decidido adiar o protesto, sem especificar mais detalhes.

O Ministério do Interior informou em outro comunicado divulgado hoje que não tinha concedido nenhum tipo de autorização para a manifestação dos estudantes.

O Ministério condenava a interferência britânica nos assuntos internos do país, mas assegurava na nota que não aprovou o protesto.

A manifestação estava marcada para as 11h locais (6h30 de Brasília) com o objetivo de denunciar a "participação" do Governo britânico nos distúrbios que sacodem o Irã há 11 dias, quando foram anunciados os resultados do pleito presidencial do dia 12 de junho.

Dezenas de milhares de pessoas protestam nas ruas desde que no dia seguinte às eleições o Ministério do Interior concedeu a vitória ao atual presidente, o ultraconservador Mahmoud Ahmadinejad, por uma surpreendente maioria absoluta.

Os protestos da oposição, que denunciou uma fraude, foram reprimidos pela Polícia iraniana e os grupos de milicianos islâmicos "Basij".

O regime iraniano acusou vários países ocidentais, especialmente os EUA e o Reino Unido, de ser incentivar os violentos enfrentamentos, que já custaram a vida de cerca de 21 pessoas, segundo números oficiais.

No domingo, o Governo iraniano expulsou do país o correspondente da "BBC", John Layne, e deteve o da revista americana "Newsweek" Maziar Bahari.

Além disso, Teerã anunciou que está "reconsiderando" suas relações com Londres. EFE jm/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.