Estudante morre depois de matar 10 pessoas numa escola na Finlândia

Um jovem estudante abriu fogo nesta terça-feira numa escola de uma pequena cidade da Finlândia, matou pelo menos dez pessoas e se suicidou, menos de um ano após um drama parecido que chocou profundamente o país.

AFP |

O atirador, identificado como Matti Juhani Saari, era aluno do estabelecimento, e teria anunciado suas intenções de realizar uma chacina em um vídeo colocado na internet.

"Há dez mortos e não temos informações mais recentes sobre o número de feridos", declarou o primeiro-ministro finlandês, Matti Vanhanen, em entrevista à imprensa horas após a matança numa escola de Kauhajoki, oeste do país.

O jovem, de 22 anos segundo a imprensa, tentou se suicidar virando a arma contra o próprio corpo, indicou à AFP um responsável da prefeitura de Kauhajoki, Ari Paananen. "Ele apontou a arma contra ele, mas não morreu na hora. Ficou muito ferido e foi levado para o hospital", acrescentou. Posteriormente, o atirador morreu por causa do ferimento na cabeça.

O atirador invadiu uma sala e começou a atirar contra todos na escola às 11 horas da manhã, segundo testemunhas.

Os tiros duraram aproximadamente uma hora e meia na escola de Kauhajoki, cidade de 14.000 habitantes do sudoeste da Finlândia, a 360 km a oeste da capital.

"Ouvi tiros e gritos histéricos de meninas. Duas delas vieram até minha sala e me disseram que tinha um homem estranho atirando", indicou por telefone à AFP Jukka Forsberg, segurança do estabelecimento.

"Ouvi tiros sem parar. Ele trocou o cartucho da pistola. Ele estava muito bem preparado. Ele estava vestido de preto e tinha estilo militar. Ele andava devagar", acrescentou.

A ministra do Interior, Anne Holmlund, indicou que o atirador havia sido interrogado na véspera pela polícia depois de ter colocado um vídeo no YouTube mostrando um treino de tiro com uma arma na mão.

"No entanto, o oficial da polícia de plantão decidiu que não tinha razão para retirar sua licença de porte de arma", acrescentou Holmlund em entrevista à imprensa organizada em Helsinque após uma reunião de crise do governo.

"Ele possuía uma licença temporária para uma arma de calibre 22, que comprou em 2008", acrescentou.

Os vídeos com o anúncio do massacre não estavam mais acessíveis no site do YouTube nesta terça-feira. Eles mostravam um jovem de cerca de 20 anos atirando várias vezes, no meio de um bosque, com uma arma de punho, apresentada como uma Walther P22 na legenda.

O atirador pontua uma de suas séries de tiro levantando a mão esquerda e dando adeus para a câmara.

"You will die next (vocês serão os próximos a morrer)", diz ele em um outro vídeo, apontando para a câmara antes de disparar a arma.

Esta nova matança numa escola finlandesa acontece um pouco menos de um ano depois do assassinato num colégio de Tuusula, uma tranqüila localidade de 30.000 habitantes a 40km ao norte de Helsinque, onde um jovem de 18 anos matou oito pessoas e se suicidou.

Pekka-Eric Auvinen, 18 anos, matou a diretora da escola e cinco adolescentes de 16 a 18 anos, e se suicidou com sua arma semi-automática.

A Finlândia adotou inúmeras medidas para evitar que este tipo de drama, extremamente raro em países nórdicos, se repetisse.

A Finlândia é o terceiro país do mundo com o maior número de armas de fogo, proporcionalmente à sua população, atrás dos EUA e do Iêmen.

tk-fk/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG