Estudante é morto a tiros por soldados dos EUA, segundo Polícia iraquiana

Bagdá, 3 set (EFE).- Um estudante universitário morreu devido aos tiros de soldados americanos durante uma batida no norte do Iraque, informaram hoje fontes policiais iraquianas, e acrescentaram que dois rebeldes morreram hoje em outro incidente, em Bagdá.

EFE |

As fontes disseram que o estudante, identificado como Tahsin Ahmed Mijlef, morreu na terça-feira à noite ao ser atingido por tiros de militares americanos, que invadiram a casa dele em Debsa, ao leste de Tikrit, capital da província sunita de Salah ad-Din.

Cinco pessoas, entre elas um policial, foram detidas nesta operação, que teria sido lançada para deter insurgentes na área, acrescentaram as fontes.

Até o momento, o comando militar dos EUA não confirmou nem desmentiu o incidente.

Em Bagdá, dois supostos insurgentes morreram hoje devido à explosão de uma bomba enquanto tentavam colocá-la no bairro de Al Bakr, no norte da capital.

Em outro incidente, dois civis ficaram feridos hoje por causa da explosão de uma bomba na passagem de uma patrulha das tropas americanas pelo bairro de Al-Qahira, no norte de Bagdá.

Além disso, o Exército americano informou hoje que vários "criminosos e supostos terroristas" foram detidos na segunda e na terça-feira nas zonas de Baya Rashid e Sidiya, ao sul e ao leste de Bagdá, respectivamente.

O comunicado do comando militar não precisou o número de detidos, entre eles um líder de grupos de militantes xiitas financiados pelo Irã.

Estes combatentes não teriam respeitado as ordens do líder Moqtada al-Sadr de interromper indefinidamente as atividades contra o Exército dos EUA. EFE am/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG