Estudante alemão é processado por jogar sapato em premiê chinês

LONDRES (Reuters) - Um estudante alemão de 27 anos compareceu a um tribunal na terça-feira, acusado de atirar um sapato no premiê chinês, Wen Jiabao, quando ele discursava na universidade de Cambridge, na Grã-Bretanha. Martin Jahnke, pesquisador da universidade, compareceu à corte de magistrados de Cambridge e negou cometer uma ofensa à ordem pública durante a visita de Wen, no dia 2 de fevereiro.

Reuters |

O caso foi adiado para o dia 10 de março e Jahnke foi liberado sob fiança, segundo a agência estatal Press Association.

O sapato não acertou o premiê, que discursava no último dia de sua visita à Grã-Bretanha, caindo a um metro de distância do chinês.

O manifestante, que foi contido pelos seguranças da universidade, soprou um apito e depois gritou: "Como a universidade pode se prostituir com este ditador? Como vocês podem ouvir às mentiras que ele está dizendo? Levantem-se e protestem!"

Wen hesitou por um momento, mas continuou a discursar.

O protesto veio depois que um jornalista iraquiano atirou seus sapatos ao ex-presidente dos EUa George W. Bush, quando este visitava o Iraque, em dezembro.

A China manifestou seu desapontamento com o incidente, chamando-o de "conduta desprezível", mas Wen mais tarde pediu leniência para com o manifestante.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG