Estudante acusada de matar amiga vai a julgamento

PERUGIA - Amanda Knox, uma estudante americana suspeita de matar sua companheira de quarto na Itália, foi à Corte de Perugia nesta terça-feira para uma audiência que vai decidir se ela e seu namorado serão julgados pela morte da britânica Meredith Kercher.

AP |

A polícia escoltou Amanda da prisão para o tribunal, onde ela está presa desde novembro de 2007, após a mortes à facadas de Meredith Kercher. As duas jovens dividiam uma casa alugada em Perugia.

Kercher, uma estudante da Universidade de Leeds, na Inglaterra, foi esfaqueada no pescoço. Os promotores afirmam que os suspeitos, Amanda Knox, o namorado e um africano que também estava na casa, estrangularam e esfaquearam a garota após terem praticado atos de violência sexual contra a britânica.


Amanda Knox é escoltada por policiais italianos / AP

Amanda Knox, de 21 anos, e seu namorado, o italiano Raffaele Sollecito, de 24, deram testemunhos diferentes sobre o que aconteceu na noite da morte de Meredith.

Sollecito afirmou que estava em seu próprio apartamento, em Perugia, trabalhando no computador. Ele afirma que não se lembra se Amanda Knox passou a noite inteira com ele. Amanda insiste que não estava em casa na noite da morte, mas seu DNA foi encontrado no cabo da faca usada para atingir Kerchner.

O cidadão da Costa do Marfim Rudy Hermann Guede, de 21 anos, estava na casa mas nega ter matado Kerchner. Ele acusa um italiano não identificado de tentar incriminá-lo.

O corpo de Meredith foi encontrado no dia 2 de novembro de 2007 em seu quarto, no apartamento que ela dividia com Amanda. Ela estava parcialmente vestida e tinha um corte na garganta, possivelmente feito com a faca encontrada pela polícia na casa.

Leia mais sobre Meredith Kercher

    Leia tudo sobre: crimes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG