Estrelas do cinema e da música se unem pelo Haiti

Mais de 100 artistas da indústria do cinema e da música se juntam nesta sexta-feira em uma maratona televisiva para arrecadar fundos para o Haiti, em uma iniciativa organizada pelo ator George Clooney e que será transmitida pelas principais emissoras dos Estados Unidos.

EFE |

Brad Pitt, que junto com Angelina Jolie doou US$ 1 milhão ao socorro às vítimas do terremoto ocorrido no último dia 12 no Haiti, será um dos atores que estarão do outro lado da linha para tomar nota das contribuições dos espectadores.

Também doarão US$ 1 milhão o próprio Clooney - algo que fará oficial durante a transmissão - e Leonardo DiCaprio, que estará presente ao evento e destinará o dinheiro ao fundo Clinton-Bush para o Haiti e futuros trabalhos de reconstrução no país.

Além de Pitt, Clooney e DiCaprio, participam da iniciativa artistas como Tom Hanks, Robert Pattinson, Will Smith, Julia Roberts, Meryl Streep, Ben Stiller, Chris Rock, Clint Eastwood, Denzel Washington, Halle Berry, Matt Damon, Morgan Freeman, Nicole Kidman e Samuel L. Jackson, entre muitos outros.

Personalidades como o ex-presidente americano Bill Clinton, o ex-pugilista Muhammad Ali e o apresentador de televisão Jon Stewart também se juntaram à campanha.

O evento, chamado "Hope for Haiti Now: A Global Benefit for Earthquake Relief", começa às 17h locais (23h de Brasília) e se estenderá por duas horas.

O rapper haitiano Wyclef Jean apresenta a transmissão de Nova York, enquanto George Clooney o fará de Los Angeles e Anderson Cooper, jornalista da "CNN", do Haiti.

Entre os shows, Madonna, Bruce Springsteen, Jennifer Hudson, Mary J. Blige, Shakira e Sting tocam em Nova York; Alicia Keys, Christina Aguilera, Dave Matthews, John Legend, Justin Timberlake, Stevie Wonder e Taylor Swift se apresentam em Los Angeles; Beyoncé, Coldplay e uma banda formada por Bono e The Edge, do U2, Jay-Z e Rihanna, fará sua participação a partir de Londres.

As músicas tocadas serão vendidas a partir de sábado no portal iTunes a US$ 0,99 cada. Todo o lucro das vendas irá para organizações humanitárias como o fundo Clinton-Bush, Oxfam, Cruz Vermelha, Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a fundação Yele Haiti, criada por Wyclef Jean.

Também será vendido um álbum com todas as atuações, que custará US$ 7,99, e o vídeo da transmissão, por US$ 1,99.

Os shows serão transmitidos ao vivo pelas redes de televisão americanas "ABC", "CBS", "NBC", Fox e "CNN" e pela internet por portais como YouTube, Hulu, MySpace, MSN.com e Yahoo!.

O último evento do gênero com presença de celebridades do cinema e da música ocorreu em 2005. À época, a intenção era ajudar as vítimas do furacão "Katrina". A audiência foi de 22 milhões de espectadores e US$ 30 milhões foram arrecadados para os desabrigados.

Terremoto devastador

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 (Brasília) do dia 12 e teve epicentro a 15 quilômetros da capital, Porto Príncipe. Em declarações à Agência Efe, o primeiro-ministro do Haiti, Jean Max Bellerive, disse que o número de mortos superará 100 mil.

Pelo menos 21 brasileiros morreram na tragédia, sendo 18 militares e três civis, entre eles a médica Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, e Luiz Carlos da Costa, o segundo civil mais importante na hierarquia da ONU no Haiti.

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: terremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG