Estônia se diz disposta a receber ex-prisioneiros de Guantánamo

Moscou, 19 fev (EFE).- O Governo da Estônia declarou hoje sua disposição de receber no país ex-prisioneiros da prisão americana de Guantánamo, em Cuba, que será fechada em um prazo de um ano pelo novo presidente americano, Barack Obama.

EFE |

Segundo o ministro de Relações Exteriores da Estônia, Urmas Paet, 60 prisioneiros cuja culpabilidade não pôde ser demonstrada ficarão em liberdade e poderão viajar livremente para onde quiserem, pois se retornarem para seus países de origem pode ser que sofram represálias, o que fez os Estados Unidos solicitarem ajuda à União Europeia para recebê-los em seu território.

"A Estônia aprova o fechamento da prisão na base de Guantánamo.

Caso os EUA necessitem de ajuda neste assunto, a UE deveria prestar-lhe apoio. Em janeiro, os ministros de Assuntos Exteriores da UE debateram esta questão e aprovaram em princípio a possibilidade de receber ex-prisioneiros", lembrou.

Também decidiram que a Comissão Europeia e os EUA deveriam discutir os detalhes do amparo, acrescentou o chefe da diplomacia deste Estado báltico.

"Agora é necessário solucionar questões técnicas: sobre quais acordos se baseará a permanência destas pessoas em países da UE e se alguma delas quer viajar para Estônia. Caso sejam levadas para a UE têm direito de viajar também para a Estônia", declarou para a agência russa "RIA Novosti".

O fechamento da prisão de Guantánamo foi uma das principais promessas eleitorais de Obama. EFE egw/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG