Estatal aérea da Bolívia decola em janeiro

Por Carlos Alberto Quiroga LA PAZ (Reuters) - A Bolívia vai colocar em operação a partir de janeiro uma empresa estatal de aviação civil, preenchendo a lacuna deixada pela falência, em 2007, do privatizado Lloyd Aéreo Boliviano.

Reuters |

A nova empresa é parte da política do presidente Evo Morales de ampliar a participação do Estado em setores estratégicos da economia. Desde a posse, em 2006, ele já nacionalizou empresas de minas e energia, e também pretende criar estatais de cimento e papel.

A nova empresa aérea, que se chamará Boliviana de Aviación (BoA), receberá seus dois primeiros aviões ainda neste mês, disse na sexta-feira à Reuters, por telefone, o gerente-geral Ronald Casso, acrescentando que outras três aeronaves serão arrendadas em breve.

"O objetivo é construir uma empresa séria (...), esse é o ponto de partida da BoA", disse Casso.

De acordo com ele, inicialmente a BoA realizará vôos domésticos, mas já pensa em ampliar suas operações para o exterior em médio prazo.

Morales anunciou a criação da empresa há pouco mais de um ano, e prometeu investir 15 milhões de dólares para fazê-la decolar.

O Lloyd Aéreo Boliviano, que era estatal, foi privatizado no final da década de 1990 e suspendeu suas operações no começo do ano passado, devido a graves dificuldades financeiras. Autoridades do setor impediram que ela voltasse a operar, depois de ter deixado centenas de passageiros retidos em aeroportos.

Casso disse que foi mais vantajoso montar uma nova empresa aérea do que tentar resgatar o LAB.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG