Estados Unidos suspenderão algumas sanções contra a Coréia do Norte

WASHINGTON - Os Estados Unidos anunciaram, nesta quinta-feira, que levantarão algumas sanções comerciais que impuseram à Coréia do Norte e irão retirar esse país de sua lista de Estados que patrocinam o terrorismo.

EFE |

Esta decisão dos Estados Unidos responde ao gesto de hoje da Coréia do Norte de entregar a funcionários da China um relatório detalhado de seu programa nuclear, em cumprimento às condições impostas por Washington e por outros países, para modificar sua política em relação a Pyongyang.

Em 2002, o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, incluiu a Coréia do Norte, junto com Irã e Iraque, no que chamou de "eixo do mal", que supostamente patrocinava o terrorismo e buscava a aquisição de armamento nuclear.

"A diplomacia multilateral é a melhor maneira de resolver a questão nuclear", disse a porta-voz da Casa Branca, Dana Perino, que acrescentou que "a Coréia do Norte deveria aproveitar este momento de oportunidade para restaurar suas relações com a comunidade internacional".

Reuters
Para Bush, a Coréia do Norte era "eixo do mal"
No acordo com os Estados Unidos, Rússia, China, Coréia do Sul e Japão, a Coréia do Norte se comprometeu a entregar uma informação completa de seu programa nuclear e a reconhecer as preocupações internacionais devido à proliferação de armamento e ao enriquecimento de urânio.

Além disso, Pyongyang se comprometeu a continuar a cooperação dentro de um processo que garanta essas atividades, vistas com suspeita pelos outros participantes do acordo.

As sanções americanas, sob a chamada Lei de Comércio com o Inimigo, promulgada em 1917, foram aplicadas pela primeira vez à Coréia do Norte em 1950. Esta legislação é imposta também a Cuba.

Essas sanções proíbem que as empresas dos Estados Unidos façam negócios com a Coréia do Norte.

O fato de estar na lista elaborada pelo Departamento de Estado sobre os países que considera que patrocinam o terrorismo impediu que o governo norte-coreano recebesse empréstimos do Banco Mundial e de outras instituições internacionais.

Bush celebra com cautela

O presidente George W. Bush comemorou, nesta quinta-feira, com cautela a declaração nuclear da Coréia do Norte e anunciou passos imediatos para a suspensão das sanções contra o país comunista, mas advertiu que Pyongyang deverá cessar por completo as ambições nucleares.

(*com informações adicionais da AFP)

Leia mais sobre: Coréia do Norte - Estados Unidos

    Leia tudo sobre: coréia do norteeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG