EUA querem que rebeldes renunciem à violência para conversar e talibãs pedem transferência de prisioneiros

Representantes dos Estados Unidos e dos talibãs afegãos iniciaram neste domingo negociações de paz preliminares no Qatar para tentar pôr fim ao atual conflito no Afeganistão, disse neste domingo um ex-líder talibã.

"As negociações ainda não começaram. Estão em processo de construção de um vínculo de confiança", afirmou à AFP Mohamed Qalamudin, ex-líder da temida polícia política dos talibãs, confirmando assim uma informação do New York Times. "A delegação mantém negociações preliminares", disse.

Os Estados Unidos querem que os rebeldes renunciem à violência antes de conversarem oficialmente com eles. Já os talibãs seguem condicionando a abertura de negociações à transferência dos prisioneiros da cadeia americana de Guantánamo (Cuba) para o Qatar.

Na segunda-feira, 23 de fevereiro, a Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay, declarou-se "profundamente decepcionada" com o "fracasso dos Estados Unidos em fechar a prisão de Guantánamo". Em meados de janeiro, um porta-voz dos talibãs havia indicado à AFP que o escândalo do vídeo que mostra quatro militares americanos de uniforme urinando sobre três cadáveres de supostos rebeldes afegãos não seria um obstáculo para as negociações de paz.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.