Estados Unidos e Canadá fecham acordo de parceria sobre energia limpa

OTTAWA - Em visita ao Canadá, o presidente americano Barack Obama fechou um acordo de parceria com o país, para desenvolver tecnologias de produção de energia limpa, que reduzam as emissões de gases causadores do efeito estufa. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, que recebeu o presidente em Ottawa.

Redação com agências internacionais |

AP

Obama cumprimenta Harper, primeiro-ministro do Canadá, em viagem ao país

"O presidente Obama e eu entramos em acordo sobre uma nova iniciativa, que aumentará nossa cooperação em matéria de proteção ao meio ambiente e da segurança energética", declarou Harper durante uma entrevista coletiva conjunta com Obama.

"Estabelecemos um diálogo sobre a energia limpa que envolve os altos dirigentes, para colaborar com ciência e tecnologias sobre energia limpa, que reduzirão a emissão de gases causadores do efeito estufa e combaterão o aquecimento global", acrescentou Harper.

Outras questões

Obama e o primeiro-ministro também conversaram sobre o comércio entre os dois países, a segurança em relação a ataques terroristas e a questão do Afeganistão. O presidente disse que, ao conversar com Harper, evitou qualquer pressão sobre o Canadá, para que prolongue sua missão no Afeganistão além de 2011.

"O consenso é de que a situação está se deteriorando no Afeganistão", disse Obama em entrevista coletiva conjunta. Na terça-feira, o presidente americano ordenou o envio de 17 mil soldados adicionais "para estabilizar a situação antes das eleições" afegãs.

No entanto, a decisão de mandar mais tropas depende de uma revisão da política americana sobre o país em questão, assunto no qual seu governo trabalha atualmente, segundo ele.

Em todo caso, Obama reiterou que os Estados Unidos "se distraíram" e deixaram de lado o Afeganistão, algo que prometeu mudar durante a campanha eleitoral.

O Canadá prevê retirar suas forças armadas do território afegão em 2011 e o encontro entre os dois líderes não mudou essa postura. Stephen Harper ressaltou que, na medida em que retirar seus soldados, o Canadá aumentará seu apoio econômico ao país. "A paz e a segurança tem que ser conquistadas pelos próprios afegãos", disse.

O primeiro-ministro canadense também deixou claro que uma ameaça à segurança dos Estados Unidos representa uma ameaça contra seu país.

Na coletiva com o presidente Obama, Harper disse que o Canadá fez "investimentos significativos" na segurança e na proteção da fronteira, desde o ataque terrorista de 11 de setembro de 2001, contra os Estados Unidos.

Mas ele acrescentou que há um "verdadeiro desafio" em aumentar a segurança da fronteira de uma maneira que não limite a interação social e o comércio entre países.

A viagem de Obama seguiu a tradição americana de que, ao tomar posse, o presidente deve fazer sua primeira visita internacional ao Canadá.

Leia mais sobre Canadá  - Barack Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG