A Casa Branca denunciou nesta quarta-feira um teste de mísseis do Irã que coloca Israel a seu alcance e exigiu que a República Islâmica abandone seu programa de mísseis balísticos imediatamente.

"O desenvolvimento de mísseis balísticos do Irã é uma violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU e completamente inconsistente com as obrigações do Irã para com o mundo", afirmou Gordon Johndroe, porta-voz da Casa Branca.

Os Guardiões da Revolução, o corpo de elite do regime islâmico iraniano, efetuaram nesta quarta-feira um lançamento de teste de um míssil Shahab 3, cujo alcance é suficiente para atingir Israel, anunciou o canal estatal em língua árabe al-Alam.

A rede de televisão indicou que o míssil testado foi um "Shahab 3, com uma carga convencional com peso de uma tonelada e alcance de 2.000 km".

O teste realizado, que incluiu também o disparo de vários outros mísseis, ocorre em um período de tensão crescente com o Ocidente em torno do programa nuclear iraniano.

Os Guardiões da Revolução realizam também manobras no Golfo para "aperfeiçoar as capacidades de combate das unidades balísticas e navais", indicou a imprensa iraniana.

"O objetivo desses exercícios é demonstrar que estamos dispostos a defender a integridade da nação iraniana", declarou nesta quarta-feira Hosein Salami, comandante das Forças Aéreas dos Guardiões da Revolução citado pela al-Alam.

"Nossos mísseis estão prontos para ser lançados em qualquer lugar, em qualquer momento, rapidamente e com precisão", assegurou.

"O inimigo não deve repetir seus erros. Seus alvos estão sob nossa vigilância", acrescentou.

No total, nove mísseis foram lançados, segundo a rede em língua inglesa Press TV. Além do Shahab 3, os mísseis Zelzal, com um alcance de 400 km, e Fateh, com cerca de 170 km de alcance, também foram disparados.

A Press TV divulgou imagens do Shahab 3 no momento de seu lançamento, em uma área desértica desconhecida do Irã.

Os navios britânicos e norte-americanos concluíram terça-feira as manobras de cinco dias no Golfo destinadas a proteger as instalações petrolíferas, segundo a V Flota norte-americana, com base no Bahrein.

fpn-sjw/dm/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.