O secretário de Justiça americano, Eric Holder, anunciou a prisão de 755 pessoas em uma grande operação contra traficantes de drogas mexicanos. Entre os detidos estão 52 pessoas, presas na quarta-feira nos Estados da Califórnia, Minnesota e Maryland, em operações que visavam atingir o poderoso cartel de Sinaloa, um dos quatro grandes cartéis mexicanos.

A operação de 21 meses envolveu autoridades dos Estados Unidos, México e Canadá.

Ao anunciar as prisões, Holder afirmou que os cartéis internacionais de tráfico de drogas são "uma grave ameaça à segurança internacional".

"Eles (também) são uma ameaça à segurança nacional. Ao enfrentar estes perigosos cartéis de frente, sem reservas, podemos fornecer às nossas comunidades a segurança que eles merecem. Podemos fazer isso e vamos fazer isto, estes cartéis serão destruídos", afirmou.

Além das 755 prisões, a chamada Operação Xcellerator (Acelerador) também apreendeu um total de US$ 59,1 milhões e 23 toneladas de drogas - 12 toneladas de cocaína, 7,2 toneladas de maconha, 544 quilos de anfetamina e 1,3 milhões de comprimidos de ecstasy.

A operação também apreendeu 149 veículos, três aeronaves, três barcos e 169 armas.

Um relatório do Departamento de Justiça americano, elaborado em 2008, afirmou que os traficantes mexicanos representam a maior ameaça do crime organizado aos Estados Unidos.

A maioria da cocaína disponível nos Estados Unidos é traficada pela fronteira com o México. E os traficantes mexicanos controlam a maior parte do mercado americano.

Michele Leonhart, diretora interina da DEA (a agência americana de combate às drogas), afirmou que a agência concluiu com sucesso a maior operação "que já atingiu o violentíssimo e perigosamente poderoso cartel de Sinaloa".

"De Washington ao Maine, conseguimos interromper as operações domésticas do cartel, prendendo chefes de células americanas e tirando deles US$ 59 milhões em dinheiro", afirmou.

Leonhart acrescentou que a investigação descobriu um "laboratório de anfetamina, tão sofisticado que nunca tínhamos visto algo parecido em nenhum outro lugar", e máquinas para produção de drogas capazes de fabricarem 12 mil comprimidos de ecstasy por hora.

A diretora interina da DEA acrescentou que a operação também interrompeu as atividades do cartel no Canadá.

O cartel de Sinaloa é um dos quatro principais cartéis de tráfico de drogas do México. Os outros são o cartel do Golfo, o cartel de Tijuana e o cartel Juarez.

As guerras entre os cartéis levaram à morte mais de 6 mil pessoas em 2008. Apenas em 2009, segundo a imprensa mexicana, já ocorreram mil assassinatos ligados ao tráfico.

Atualmente, o cartel de Sinaloa está envolvido em uma guerra contra os outros cartéis para assumir o controle das rotas de tráfico para os Estados Unidos, que valem bilhões de dólares.

O secretário de Justiça Eric Holder, teme que a violência relacionada às drogas possa passar do México para os Estados Unidos.

"Os problemas enfrentados pelo México são também os problemas que nós enfrentamos", afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.