Estado palestino não sai antes de 2012, diz chanceler de Israel

"Sou uma pessoa otimista, e não vejo nenhuma chance de um Estado palestino emergir antes de 2012", disse Lieberman

Reuters |

Nenhum Estado palestino será formado nos próximos dois anos, disse nesta terça-feira o chanceler de Israel, Avigdor Lieberman, citando dificuldades no processo de paz mediado pelos EUA, além das divisões entre os palestinos.

Reuters
O chanceler israelense, Avigdor Lieberman, se encontrou nesta terça-feira com o chanceler russo, Sergei Lavrov, em Israel
Lieberman aparentemente se referia a um apelo do "Quarteto" de mediadores do Oriente Médio --Estados Unidos, Rússia, União Europeia e Organização das Nações Unidas-- para que um acordo seja adotado até 2012.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que aderiu em maio a negociações indiretas com os palestinos, aceita a criação de um novo Estado, mas com soberania limitada sobre a Cisjordânia.

A Autoridade Palestina, que governa a Cisjordânia e tem apoio dos EUA, enfrenta também a oposição do grupo islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza e rejeita qualquer negociação com Israel. "Sou uma pessoa otimista, e não vejo nenhuma chance de um Estado palestino emergir antes de 2012", disse o ultradireitista Lieberman a jornalistas.

"Pode-se sonhar, pode-se imaginar, mas a realidade no terreno é que ainda estamos muito longe de alcançarmos entendimentos e acordos sobre a criação de um Estado palestino até 2012", disse.

O primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, diz que os palestinos podem declarar unilateralmente a criação do seu Estado, caso o impasse diplomático continue. Já o presidente palestino, Mahmoud Abbas, minimiza tal possibilidade.

Em visita a Israel, o chanceler russo, Sergei Lavrov, defendeu a decisão do seu país --condenada pelo resto do Quarteto-- de manter contatos com o Hamas. "Em todas as nossas conversas com o Hamas, tentamos convencê-los a mudar de rota política e apoiar a iniciativa árabe de paz", declarou ao lado de Lieberman.

    Leia tudo sobre: IsraelPalestinosOriente MédioEstados Unidos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG