Estado de saúde do dissidente cubano Fariñas se agrava

Médico do hospital onde ele está internado diz que tromboflebite na jugular pode ir aos pulmões e provocar embolia pulmonar

EFE |

O dissidente cubano Guillermo Fariñas, em greve de fome há quatro meses, está em "perigo potencial de vida" devido a um coágulo na veia jugular que complicou sua saúde, apesar de ter apresentado uma "discreta melhora" nos últimos dias depois de ter recebido tratamento.

O jornal "Granma" publica hoje uma entrevista com Armando Caballero, chefe do setor de tratamento intensivo do Hospital Santa Clara, (onde Farinãs está internado desde 11 de março), na qual detalha a situação do dissidente e o tratamento que está recebendo.

Na entrevista, o médico não cita os motivos da greve de fome do opositor, que reivindica com seu jejum a libertação dos presos políticos doentes. Caballero diz que a tromboflebite que sofre Farinãs há uma semana na jugular tem "um grande risco, pois pode ir direto ao coração e daí aos pulmões, e provocar uma embolia pulmonar, o que pode levar a morte. Essa afecção é comum em pacientes que como ele recebe alimentação parenteral prolongada mediante cateter, já que os riscos de infecções no sangue aumentam.

O jornal "Granma" citou pela primeira vez a greve de Farinãs em 8 de março e classificou-o como "agente dos Estados Unidos e delinquente violento".

    Leia tudo sobre: farinãsgreve de fome

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG