Estado de exceção é mantido no Paraguai

Presidente mantém vigência do decreto até que ordem seja restabelecida em região de atentado contra senador

iG São Paulo |

Reuters
Soldados paraguaios inspecionam carro em região sob estado de exceção

Em meio ao agravamento da violência no norte do Paraguai, o presidente Fernando Lugo reuniu nesta quinta-feira seus assessores civis e anunciou que vai manter a vigência do estado de exceção na região "até que a ordem seja restabelecida na área". As informações são da agência oficial de notícias da Presidência da República paraguaia. O assunto será tema do encontro de Lugo com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva , na próxima segunda-feira.

A preocupação das autoridades é com a ação conjunta da guerrilha paraguaia Exército do Povo Paraguaio (EPP) que estaria atuando em parceria com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e a organização criminosa de São Paulo Primeiro Comando da Capital (PCC) .

Atentado contra senador

As tensões aumentaram nos últimos dias quando o carro em que estava o senador Robert Acevedo – cujo discurso político é baseado em críticas às ações dos grupos de criminosos e do narcotráfico – foi atingido por disparos. O senador ficou ferido e teve alta na última quarta-feira. Porém, o segurança e o motorista que estavam com ele foram mortos no atentado .

Acevedo estava em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na fronteira com o Brasil, na região do município de Ponta Porã (em Mato Grosso do Sul). A cidade paraguaia está entre os municípios onde vigora o estado de exceção. A região é considerada uma das mais violentas do país. Ontem o presidente Lula criticou a ação organizada de facções criminosas que ameaçam a paz de quem vive nessas áreas e confirmou que tratará do assunto com Lugo .

Segundo os meios de comunicação do Paraguai, quatro integrantes do PCC teriam participado do ataque contra Acevedo, que ocorreu na cidade de Pedro Juan Caballero, que é separada de Ponta Porã apenas por uma avenida.

"Segunda-feira me encontrarei com Lugo para conversar seriamente sobre o que está ocorrendo na fronteira. Tenho umas informações primárias da inteligência brasileira", disse Lula após seu encontro com o líder da Venezuela, Hugo Chávez, na última quarta-feira.

De acordo com o governo paraguaio, o objetivo do decreto do estado de exceção é a captura de membros do EPP e dos demais grupos organizados de criminosos ligados ao tráfico de drogas, roubos, sequestros, extorsões e assassinatos. As outras ações consistem em impedir a expansão territorial para as demais áreas do país.

*Com EFE e Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Paraguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG